12 de abr de 2011

Do latim tripalium - Elvis Gomes Marques Filho

Cargo não remunerado, vitalício, desprovido de quaisquer prerrogativas legais (FGTS, auxílio doença, licença maternidade, dentre outros); sujeito a elevadíssimo grau de estresse físico e psíquico; necessário desembolso de consideráveis e constantes valores monetários; sumariamente proibido repouso de qualquer natureza; condições de trabalho, em geral, insalubres, com presença constante de coliformes fecais e uréia; não há direito a rescisão contratual. Carga horária: 168 horas/semana, isto é, 24h por dia, 7 dias por semana. Interessados, favor procurar espermatozóide apto a fecundar óvulo. Para exercício de todas as faculdades inerentes ao cargo, deve-se aguardar 9 meses, contados a partir da data de fecundação.
Muitos designam este cargo de “maternidade”. Oficialmente, porém, utilizamos a expressão “escravidão domiciliar”, bem mais condizente com os atributos desta função.
Vale ressaltar que, contrariando a lógica universal, o cativeiro materno é o cargo mais concorrido de nossa empresa. Tão intrigante é este fato que resolvemos elaborar enquetes, questionários e coletar dados estatísticos para apurar tal conduta. O resultado foi estarrecedor: 99% das entrevistadas dizem estar plenamente satisfeitas no exercício de sua função. 80% destas acrescentam ainda que nunca se sentiram tão realizadas no desfrute deste momento único. Afirmam que seus filhos (lê-se senhores de engenho) são tudo em suas vidas. Testes psíquicos posteriores, incrivelmente, comprovaram a sanidade destas afirmações.
Se as cláusulas do contrato permitissem, ofertaríamos honrarias e louvores a estas heroínas (e um tratamento psiquiátrico também). Acreditamos que mereçam mérito digno de sobreviventes de guerra, ou melhor, de devastações nucleares. Lutam, sacrificam-se, choram, gritam, enlouquecem. Tudo em prol dos filhos. E ainda encontram tempo para sorrisos, carinhos, abraços e afetos. Intrigante, não? A dedicação destas funcionárias, de fato, impressiona-nos.

Ps.: Solicitar inclusão de cláusula que isente a empresa da responsabilidade por danos psíquicos, tão comuns no exercício deste labor.

Escrevi este texto em homenagem a minha fã número 1, grande mulher de minha vida, meu amparo, refúgio e proteção: minha mãe. Hoje, mãe, nesta data tão especial, no dia de seu aniversário, quero que saiba que a amo e a admiro com todas minhas forças. Agradeço todos esses anos da mais pura dedicação e paciência. Agradeço, principalmente, por ser minha tão estimada sinhazinha. HAHAHA! Brincadeirinha.


 (Elvis Gomes Marques Filho)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Caso comente anônimo, diga seu nome! =)